Meningoencefalite

Meningite nos cães: de que se trata?

A meningite em geral é uma inflamação do espaço aracnoide e da pia-máter, sendo que se manifesta nos animais domésticos com alguns sintomas. Pelo facto de as leptomeninges e o parênquima nervoso da medula espinal estarem intimamente unidos, o quadro clínico normalmente observado é de uma meningomielite, que é uma inflamação das meninges, da medula espinal e dos vasos sanguíneos adjacentes. As causas costumam ser de origem infecciosa, imuno-mediadas e idiopáticas.

No caso de uma meningoencefalite, dá-se uma infeção das meninges e do sistema nervoso central, com uma distribuição multifocal e aguda. Pode surgir em qualquer idade. Por outro lado, ainda que menos frequente, também pode corresponder a uma causa não-imune, consequência de uma resposta auto-imune aumentada, sem se encontrarem evidências de agente infeccioso.

Etiologia da meningoencefalite

É habitual ser causado por:

  • Doenças víricas (raiva, cinomose, PIF, pseudo-raiva, etc.). Se deseja mais informação sobre a encefalite causada pela cinomose.
  • Protozoários (toxoplasma, tripanossomas, babesiose, etc.).
  • Micoses sistémicas (especialmente criptococose e blastomicose)
  • Doenças de Rickettsia, como a erliquiose.
  • Bacterianas: Staphilococcus, Nocardias ou Pasteurella. É uma etiologia rara nos cães e nos gatos.

Em relação à sintomatologia, inicialmente poderá ser inespecífica e progressiva. Geralmente associa-se à situação clínica sistémica, como por exemplo uma infeção respiratória, dor muscular ou articular, e um síndrome febril. Os sinais neurológicos são característicos de uma patologia multifocal, observando-se:

  • Paresia/paralisia
  • Convulsões
  • Cabeça inclinada
  • Nistagmo, ataxia e tremores

O diagnóstico de suspeita de meningoencefalite no cão baseia-se no historial clínico, compatível com resultados indicadores no líquido cefalorraquidiano por punção lombar, e uma neuro-imagem como a ressonância magnética.

Tratamento e prognóstico

A meningoencefalite nos cães é uma urgência médica que necessita de um tratamento de suporte e de um tratamento etiológico. Deveremos instaurar:

  • Terapia anti-convulsiva: fenobarbital por via oral, pentotal sódico por via intravenosa
  • Anti-bacterianos do SNC (antibióticos, antifúngicos) que penetrem na barreira hematoencefálica
  • Fármacos diuréticos para controlar o edema cerebral, etc.

No caso de a etiologia ser viral, e ao não existir um tratamento eficaz, costumam ser doenças difíceis de abordar e gerir. O prognóstico é grave, já que podem originar-se sequelas neurológicas devido ao dano causado ao sistema nervoso pela inflamação. Nas doenças de Rickettsia e bacterianas o processo pode ser controlado e, após uma terapia antibiótica, pode haver uma melhoria a longo prazo. Os processos devidos a doenças virais e micóticas não são passíveis de serem controlados, e o seu prognóstico é fatal.

Leave a reply